The Latest

em 💭
Juil 15, 2014

em 💭

Fico quieto. Primeiro que paixão deve ser coisa discreta, calada, centrada. Se você começa a espalhar aos sete ventos, crau, dá errado. Isso porque ao contar a gente tem a tendência a, digamos, “embonitar” a coisa, e portanto distanciar-se dela, apaixonando-se mais pelo supor-se apaixonado do que pelo objeto da paixão propriamente dito. Sei que é complicado, mas contar falsifica, é isso que quero dizer — e pensando mais longe, por isso mesmo literatura é sempre fraude. Quanto mais não-dita, melhor a paixão.
C.F.A.
Juil 9, 2014
Juil 9, 2014

Susan Miller e o retorno da esperança zodiacal

You have so much to celebrate, dear Virgo. The start of 2014 will officially begin in July. Say goodbye to the never-ending series of retrograde planets - all that ends now. From now on you will have a more encouraging, productive environment in which to operate. While it is true that Mercury, your ruler, will go retrograde again on October 4 to 26, those three little weeks will pale in comparison to what we have all gone through in the first six months of 2014.

On July 16, Jupiter, giver of gifts and luck, will move to Leo and your twelfth house, to stay nearly thirteen months, until August 11, 2015. This is the last house until a new cycle will begin when Jupiter moves to Virgo next year in August. The area of your chart that will be lit up by Jupiter from July 16 onward is associated with healing, both emotional and physical, so you will have a great opportunity to dispel any element that has detracted from your health and sense of calm. You can now get great help from medical and psychological professionals, and also overcome any dependency you may have on a substance that’s drained your health.

Uma pessoa que soube se divertir e escolher bons boys: #JerryHall. Por este maravilhoso feito e por ter dado muitos pivôs na passarela da Mugler, aqui vai o meu… Parabéns! 🍸🔫
Juil 2, 2014 / 1 note

Uma pessoa que soube se divertir e escolher bons boys: #JerryHall. Por este maravilhoso feito e por ter dado muitos pivôs na passarela da Mugler, aqui vai o meu… Parabéns! 🍸🔫

Jui 29, 2014

Ironicamente, a primeira vez que nos falamos foi no banheiro de uma festa do Grand Metropole. Você veio na minha direção e eu sem saber o que fazer, pensando “será que ele sabe quem eu sou?”. Nem lembro a meia dúzia de palavras que trocamos.

 Eu não sabia, mas ali você já tinha o poder de me desconcertar. Antes daquele dia, eu tinha te visto apenas algumas vezes - e não te achava nada demais, mas aí vem aquele clichê do “mundo dá voltas”. Isso foi dia 13.07.

Percebi que quando chega junho e julho eu fico mais sensível, mais disposto, mais confiante e ligeiramente mais melancólico.

Em novembro, quando ficamos sozinhos no fumódromo, de mãos dadas e olhares que se encontravam de forma tímida, eu vi que estava completamente apaixonado por você, queria te beijar, te ter por perto e amava seu jeito displicente, sua voz, e seus traços que mesmo nada especiais, pareciam perfeitos para mim. Todo mundo já tinha entendido, menos eu.

Aquela paixãozinha foi aumentando, junto com o meu desequilíbrio emocional. Quando eu viajei para o Rio, eu já me referia a você como meu amor, eu olhava suas fotos e sentia uma certa reciprocidade. Infelizmente.

Foi quando as coisas saíram de trilho. Não lembro se eu já tinha entendido a mensagem, mas você já tinha me compreendido por completo, visto com olhos clínicos todas as minhas feridas. Naquela fatídica noite eu percebi que as coisas teriam que ter um fim, meu coração estava apertado, tenso na sala, enquanto você estava na cozinha.

Caminhando para a boate, com problemas e aditivos demais sob aquele manto negro, ruas tortuosas, como minha vida. No bar, você falou tudo para me machucar, eu vi que você queria ver minha reação, percebi como você é sádico. Desabei, fui obrigado a ser suscetível, a me expor, tudo colaborava para que eu me despisse ali - e nem era da forma que eu gosto. 

Na manhã seguinte, você, claro, fingiu que nada tinha acontecido. A partir deste dia acabou o que não deveria ter começado. Fiquei um mês te evitando. O celular apitou, meus olhos brilharam contra a minha vontade. Uma hora depois eu estava no center 3 te esperando, como que para um primeiro date oficial. Que tolo.

Não demorou para você ver que ainda me tinha nas mãos. Mas na mesa daquele bar tudo era bem claro, o silêncio constrangedor, os olhares se evitando. Bebi, bebi, bebi… Em cada gole, falando para mim mesmo: “eu nunca o terei, não posso, não devo, nem quero… mentira, eu quero, mas não!”. Você era meu novo vício, eu estava dependente. 

Talvez seja coisa da minha cabeça, mas sinto que você não me trata como os outros. Por medo? Por indiferença? Por saber que eu não verei isso apenas como amizade? No fundo, no fundo eu sei, eu sinto a tensão que existe quando estamos só. Mas chega.

Entre idas e vindas. Altos e muitos baixos. Acabou o amor platônico. As vezes, confesso, me pego pensando em você e como seria “se tudo desse certo”. Penso que daqui uns anos vamos estar juntos. outras vezes, penso que daqui uns anos eu te verei com alguém e pensarei: “Ele merece isso e não eu” e darei uma risada de superação e superioridade.

Você é fraco e ficou forte na minha fraqueza. Mas bang bang, meu amor… o que eu sinto não acabou, mas esse joguinho que vai fazer um ano dia 13, sim. Pode acreditar. 
  

#EdWestwick 🎈
Jui 27, 2014 / 3 notes

#EdWestwick 🎈

Jui 26, 2014 / 3 notes
Jui 26, 2014 / 2 notes
Jui 26, 2014
Jui 25, 2014 / 816 notes

(via faded-film)

Jui 25, 2014 / 26 728 notes

(via imwithholly)

Jui 24, 2014 / 2 notes
Não acho que as mulheres queiram vestir uma ideia. Elas querem vestir um belo vestido, isso sim. A moda precisa ser simples, porque a vida já é complicada demais
Alber Elbaz
Jui 24, 2014 / 1 note
Jui 24, 2014 / 21 notes
Jui 23, 2014 / 4 notes